26/01/2017

Perspectivas de mercado para 2017

Mais um ano se iniciando e as expectativas, para este em particular, são muitas, visto a grande crise enfrentada pelo Brasil em 2016. Observou-se uma pequena reação, do mercado como um todo, no final do ano, entretanto ainda há muito que reconquistar. Segundo especialistas, não será um ano fácil, nem de rápida recuperação, muitos desafios estão por vir para os diversos setores da economia.

Para se ter uma idéia, o PIB (Produto Interno Bruto) teve a pior variação negativa em 25 anos. Em 2015 o PIB recuou 3,8%, o que demonstra recessão efetiva da economia. Com o novo Governo a estratégia mudou e o foco passou a ser a retomada da economia brasileira, diversas medidas de estimulo foram adotas e estão revertendo o cenário preocupante do país. Para se ter ideia a expectativa é que 2017 feche com um pequeno avanço no PIB em 0,7% e que a taxa de juros feche o ano em torno de 9%. O mercado não espera o fim da recessão tão cedo, principalmente em questões ligadas ao desemprego, mas o cenário mais otimista para 2017 estimula o recebimento de novos investimentos e aumenta a confiança do mercado.

Entre as medidas adotadas nos últimos meses do ano está o estímulo para aquisição da casa própria, o que reaquece o mercado da construção civil, não a patamares vistos antes da crise que ainda enfrentamos, no entanto favorece a redução dos estoques das Construtoras e Incorporadoras possibilitando, em breve, a retomada de obras já observada de maneira vagarosa, mas crescente.

O ano de 2017 será um ano de reestruturação, aquelas empresas que conseguiram se manter ativas no mercado deverão continuar se reorganizando, principalmente, através do controle de custos e melhoria de sua eficiência, como se diz no popular “fazer mais com menos”. Não há dúvidas de que foi um momento de muitas dificuldades, mas ao mesmo tempo de intenso aprendizado. O caminho a percorrer ainda é longo e obstáculos persistirão em surgir, todavia o futuro é promissor.

Voltar